domingo, 15 de abril de 2012

Tendências progressistas: resumindo...

A quinta aula de didática, do dia 10 de abril, iniciou com a continuação da atividade que fizemos na aula passada. Alguns grupos que haviam elaborado questões sobre as tendências pedagógicas progressistas não haviam tido a chance de mostrá-las ao resto da turma. A professora Alessandra começou a aula com uma breve explanação sobre o que tínhamos visto até o momento. Em sua explanação, a professora deu enfoque nas diferenças entre as tendências pedagógicas liberais e progressistas: as tendências liberais caracterizam-se pela atitude de simples reprodução do conhecimento, enquanto as progressistas possuem um cunho mais crítico. As tendências liberais não estão preocupadas com o raciocínio crítico do aluno. Sua prática leva à conservação da sociedade como ela está, sem se preocupar em criar cidadãos com visões críticas sobre o que ocorre à sua volta. Dentro da sala de aula, essas tendências se traduzem como simples reprodução do conhecimento adquirido pela humanidade ao longo dos anos, sem nenhuma relação com a aplicação prática daquele conhecimento na vida do aluno ou na sociedade. As tendências progressistas diferenciam-se justamente nesse ponto. Sua principal característica é o objetivo de transformação da sociedade através da educação. As tendências progressistas têm se manifestado em três tendências: a libertadora, a libertária e a crítico-social. Uma característica que se observa nessas três tendências em relação à aplicação prática delas na sala de aula pelo professor é o uso constante de atividades grupais (discussões em sala) que utilizem a bagagem de conhecimentos que o aluno trás com ele devido às suas experiências vividas fora da escola.
Após essa pequena explanação, a professora nos reuniu em um círculo na sala e as equipes que não haviam feito suas perguntas na aula anterior. Tiveram as suas chances. As perguntas foram sobre as três tendências progressistas: a libertadora (onde o foco é no conhecimento da sociedade a fim de transformá-la, preocupando-se em despertar uma nova forma de relação do aluno com suas experiências vividas fora e dentro da escola), a libertária (cuja principal característica é a busca  por formar pessoas autogestionárias no sentido do aprendizado) e a crítico-social (onde a difusão de conteúdos é primordial, porém não conteúdos abstratos, mas sim concretos, associados às realidades sociais). Abaixo, transcrevemos a pergunta de um dos grupos dessa quinta aula, sobre a tendência progressista crítico social:

Pergunta:
"A tendência pedagógica crítico-social acentua a primazia dos conteúdos no seu confronto com as realidades sociais. Seus métodos partem de uma relação direta com a experiência do aluno e o saber trazido de fora. Aqui, o papel do professor é causar uma ruptura. Que ruptura é essa?

a) O aluno luta para superar suas dificuldades e conquistar seu lugar junto aos mais capazes, acumulando conhecimentos e valores sociais que lhe foram repassados.

b) O aluno ultrapassa a experiência, os estereótipos e as pressões difusas da ideologia dominantes utilizando elementos de análise crítica proporcionados pelo professor.

c) O aluno, através do professor, supera sua inércia e se torna espectador frente à verdade objetiva, recebendo, aprendendo e fixando o conteúdo com sucesso.

A resposta certa para a questão é a alternativa B, pois a principal ideia da tendência crítico-social é criar no aluno um pensamento crítico sobre a sociedade atual, de modo que ele possa atuar na sua transformação. Essa pergunta também mostra qual seria o papel do professor nesse processo. O professor proporciona as oportunidades onde o aluno possa criar dentro de si essa visão crítica do mundo.

Após o intervalo de quinze minutos, a professora nos explicou mais detalhadamente a atividade de avaliação relacionada à nossa visita à uma escola, a fim de observar como a didática ocorre na prática. Nosso grupo pretende fazer a visita em uma escola particular onde foi observado que muitos dos alunos lá matriculados são alunos que possuem necessidades especiais (deficiências físicas ou fisiológicas, de um modo geral). Nosso objetivo é mostrar para o restante da turma como o professor deve lidar com a diversidade de alunos em sua sala de aula, confirmando mais ainda a importância do educador na vida das pessoas. Em breve, estaremos postando nossas observações sobre essa experiência!

Até a próxima aula!

Nenhum comentário:

Postar um comentário